TecnoArteNews

Notícias sobre cultura e arte contemporânea

quarta-feira

21

novembro 2012

0

COMENTÁRIOS

30ª Bienal de São Paulo com roteiros adaptados para seu tempo disponível

Escrito por , Postado em Curadoria de Conteúdos em Arte Contemporânea, Destacadas

alberto-bitar_completude-da-serie-sobre-o-vazio_2010

Pensando em diferentes tipos de público e de tempo disponível, a Veja SP roteiros diferentes para quem quer visitar a Bienal de São Paulo.

Você ainda não foi à 30ª Bienal de São Paulo? Em cartaz no Parque do Ibirapuera desde o dia 7 de setembro e orçada em R$ 22,4 milhões, a mostra conta com 111 artistas expondo 2.900 obras ocupando o pavilhão projetado por Oscar Niemeyer. Ou seja, ela é grande e a visita pode tomar muito tempo dos desavisados. Por isso VEJA SÃO PAULO fez roteiros para facilitar a vida dos visitantes que não têm muito tempo, ou paciência, a perder.

alberto-bitar_completude-da-serie-sobre-o-vazio_2010

A magnífica série Sobre o Vazio, do paraense Alberto Bitar, traz apartamentos sem nenhuma presença humana. (Foto: Divulgação )

Além disso, damos informações e indicações para visitantes deficientes visuais, pessoas com baixa visão, deficientes auditivos, físicos, cadeirantes, deficientes intelectuais e pessoas com problemas psiquiátricos. Mais informações aqui.

Confira nossos roteiros:

POR TEMPO

arthur-bispo-do-rosario_manto-de-apresentacao_sem-data

Manto do sergipano Arthur Bispo do Rosário (1911-1989).
(Foto: Divulgação)

½ hora

O roteiro privilegia um pouco de tudo. Objetos, fotografia, pintura e escultura. Comece com duas obras no terceiro andar, mais duas no segundo e uma no primeiro piso. Colocadas em ordem a seguir:

Precursor da fotografia alemã, August Sander (1876-1964) elaborou, na série Pessoas do Século XX, um catálogo da diversidade política e cultural do país por meio de 600 retratos.

Ícone do construtivismo brasileiro, Waldemar Cordeiro (1925-1973) élembrado com esculturas, projetos paisagísticos e pinturas geométricas.

O sergipano Arthur Bispo do Rosário (1911-1989), que foi interno da Colônia Juliano Moreira, antiga instituição psiquiátrica do Rio de Janeiro, éo homenageado do evento. Há um grande conjunto de instalações de sua autoria, feitas com lixo e sucata.

Caçula entre os 111 artistas, a paulista Sofia Borges, de 28 anos, explora a manipulação de imagens e a relação entre ficção e realidade na fotografia.

Ex-aluna dos alemães Josef e Anni Albers, a americana Sheila Hicks aposta na delicadeza dos bordados. Há desde pequenos trabalhos abstratos atéesculturas têxteis de grande porte.

1 hora

Aqui o roteiro se estende mais um pouco para o primeiro andar. Além dos 5 indicados na primeira lista, acrescente:

Irônico, o americano David Moreno reúne fotos das máscaras mortuárias de grandes personalidades do passado – escritores, políticos, filósofos, compositores – e coloca um megafone na boca de cada um.

gego_sem-titulo_1987

Gego (1912-1994) apresenta esculturas de arame e colagens sutis e miniaturizadas em papel. (Foto: Divulgação)

A magnífica série Sobre o Vazio, do paraense Alberto Bitar, traz apartamentos sem nenhuma presença humana. Ao registrar os vestígios deixados pelos moradores, o fotógrafo traça uma reflexão sobre a memória.

A sala do sueco Andreas Eriksson chama atenção pela presença de dois galhos de árvore com aparência frágil. Apenas ao se aproximar o espectador nota que a escultura éde bronze, e não de madeira. Nas paredes, pinturas de tamanhos variados completam o espaço.

2 horas

Com mais tempo você pode andar pelos andares com mais calma e curtir mais destaques. Além dos 8 indicados nas duas listas anteriores, acrescente:

O fotógrafo holandês Hans Eijkelboom monta grupos de imagens clicadas em grandes metrópoles do mundo, como Paris, Londres, Amsterdã e São Paulo. Cada um deles traz pessoas com padrões de roupas muito parecidos.

Venezuelana de origem alemã, muitas vezes comparada a Mira Schendel, Gego (1912-1994) apresenta esculturas de arame e colagens sutis e miniaturizadas em papel.

Adepto de intervenções de impacto, o mineiro Thiago Rocha Pitta impressiona o espectador que acaba de subir a rampa em direção ao segundo andar. Ali ele simulou um deslizamento de terra.

Preto e branco são as cores utilizadas pelo argentino Eduardo Stupía em desenhos e telas abstratas de pinceladas fortes.

sheila_hicks

A artista norte-americana Sheila Hicks aposta na delicadeza dos bordados.
(Foto: Divulgação)

3 horas

Com este roteiro você tem um panorama geral com alguns dos principais nomes da 30ª Bienal de São Paulo. Relaxe e aproveite sem pressa. Além dos 12 indicados nas duas listas anteriores, acrescente:

Representante da nova geração de pintores figurativos brasileiros na mostra, o carioca Eduardo Berliner exibe pinturas e desenhos que trazem elementos banais, como uma escada e atéuma cartela de Dorflex.

Registros da vida do fotógrafo alemão Horst Ademeit (1937-2010) aparecem em polaroides repletas de anotações nas bordas, compondo assim uma paisagem de sua alma.

O artista mexicano Fernando Ortega fotografou um rio de seu país no qual uma pequena balsa faz a travessia. Coube ao músico e produtor inglês Brian Eno a missão de compor uma trilha sonora para a curta viagem pela água.

Conhecido como poeta, o chileno Juan Luis Martínez (1942-1993) também se arriscava nas artes visuais. Influenciado por Marcel Duchamp, ele tem expostos relevos de parede irônicos, feitos com brinquedos, fotos velhas e pedaços de instrumentos musicais.

As produções pictóricas da fluminense Lucia Laguna e do venezuelano Juan Iribarren estão expostas em salas vizinhas. As telas de ambos ficam em algum ponto entre a figuração e a abstração (no destaque, o quadro Paisagem Nº 51, assinado por Lucia).

Pinceladas delicadas, poucos elementos e tons monocromáticos caracterizam as telas do americano John Zurier, o artista mais dedicado ao silêncio de toda a 30ª Bienal.

A literatura é o tema de inspiração para o uruguaio Alejandro Cesarco, seja no vídeo Metodologia, no qual duas pessoas conversam sobre o grande escritor Juan Carlos Onetti (1909-1994), seja no “romance” formado pela reunião de índices onomásticos aleatórios.

Texto: VejaSP

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>