TecnoArteNews

Notícias sobre cultura e arte contemporânea

terça-feira

9

outubro 2012

0

COMENTÁRIOS

Projeto Arte Genoma: Art.sy mapeia o mundo da arte

Escrito por , Postado em Destacadas, Mercado da Arte Digital

art.sy-projeto-arte-genoma

Art.sy é uma start-up cuja versão pública foi ao ar na segunda-feira. Trata-se de um extenso repositório livre de imagens de obras de arte e um guia on-line de apreciação da arte. O site pretende fazer para a arte visual o que Pandora fez pela música e Netflix para o cinema. Em outras palavras, espera que se torne uma fonte de prazer, descoberta e educação.

Art.sy já conta com parceria de 275 galerias, 50 museus e instituições. São mais de 20 mil imagens digitalizadas em seu sistema de referência chamado Projeto Genoma Art. Como se amplia o alcance da plataforma, Art.sy também levanta questões sobre como (ou se) a análise digital pode ser aplicada à arte visual. Algoritmos podem ajudar a explicar a arte?

art.sy-projeto-arte-genoma

Art.sy – Projeto Arte Genoma

Para colocar em andamento o Projeto Arte Genoma (Project Genoma Art), Matthew Israel, que tem Ph.D em Arte e Arqueologia pelo Instituto de Belas Artes da Universidade de Nova York, lidera uma equipe de doze historiadores de arte que decidem o que esses códigos são e como eles devem ser aplicados.

Alguns rótulos – Art.sy chama de ‘genes’ e reconhece cerca de 800 deles – denotam qualidades objetivas, tais como período histórico, características, categorias. Outros rótulos são altamente subjetivos, tais como os termos anexados “globalização” e “crítica da cultura” que atribuem um contexto ideológico. Nesse sentido, um Picasso pode ser marcado como “Cubismo”, “pintura abstrata”, “Espanha”, “França” e “amor”, todos os termos são visíveis e pesquisáveis no site.

No que diz respeito às categorias, valores de 1 a 100 são atribuídos às obras. Assim, um Andy Warhol pode ter um valor elevado na escala da Pop Art, enquanto um pós-Warhol poderia se classificar de forma diferente, dependendo da influência.

Art.sy pretende fazer conexões entre obras de arte que são, aparentemente, de mundos distintos, com um catálogo que abrange peças do Museu Britânico, da Galeria Nacional de Washington, ou do Museu de Arte Contemporânea de Los Angeles, dentre outros.

Ainda assim, o Art.sy está longe de ter toda a obra do mundo e o genoma é tão robusto quando sua coleção é limitada. Vale lembrar que Google Art Project, um outro repositório de imagens de obras de arte, tem quase o dobro do tamanho de Art.sy.

Visto em @The New York Times

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>