TecnoArteNews

Notícias sobre cultura e arte contemporânea

terça-feira

17

julho 2012

0

COMENTÁRIOS

Tate Modern inaugura ‘Tanques’, espaço dedicado exclusivamente às artes do século XXI

Escrito por , Postado em Destacadas, Mercado da Arte Digital

tanks-art-action

“Seremos o primeiro museu do mundo que terá um espaço para esta arte”, assim Nicholas Serota comunica à imprensa o novo espaço da Tate Modern dedicado especificamente para as artes do século XXI.

A Tate Modern de Londres, o museu de arte moderno mais visitado no mundo, inaugurou nesta segunda os Tanques, um singular espaço subterrâneo onde mostrará arte de vanguarda com instalações audiovisuais, de luz e sons e performances.

Anne Teresa De Keersmaeker

“É este um espaço único habilitado, pela primeira vez, para acolher a arte do século XXI”, afirmou o diretor do grupo de galerias Tate, Nicholas Serota, na apresentação à imprensa.

As obras em vídeo, as composições de luz e som ou a dança, que até agora não tinham salas de exposição específicas, “passarão de estar nas margens das instituições a tomar o centro do cenário”, disse Serota, para quem o conceito de Tanques revolucionará o panorama museístico.

Seremos o primeiro museu do mundo que terá um espaço dedicado exclusivamente e de forma permanente para mostrar e armazenar esse tipo de arte, que queremos elevar à mesma categoria que a pintura ou a escultura que também são exibidas na Tate”, explicou.

Os chamados Tanques, situados no subsolo do edifício, às margens do rio Tâmisa, são três espaços circulares de cimento de 30 metros de diâmetro por 7 de altura – mais duas salas adjacentes – , que eram as antigas cisternas de combustível da central elétrica onde foi habilitada a Tate Modern desde 2000.

Primeira fase do projeto


A abertura dessa construção subterrânea é a primeira fase do projeto de ampliação da popular galeria, quotizada em 325 milhões de dólares e que se completará em 2016 com um edifício de 10 andares no qual estarão situadas salas de exposições, restaurantes e espaços interativos.

Line Describing a Cone 1973 by Anthony McCall born 1946

“A intenção é que os Tanques sejam os cimentos de uma construção que, em sua totalidade, será orgânica”, explicaram os arquitetos suíços Jacques Herzog e Pierre de Meuron, encarregados de transformar a antiga central elétrica em um museu em 2000.

Doze anos mais tarde, a Tate Modern, que recebe anualmente cerca de cinco milhões de visitantes – o dobro que o MoMA de Nova York e o Centro Pompidou de Paris –, quer reforçar sua liderança com este novo espaço para a arte mais atual.

“As pessoas tem cada vez mais vontade de ver instalações interativas e sobretudo dança e ‘performances’, expressões artísticas tangíveis e concretas, pois são como um antídoto contra a abstração da crise econômica”, refletiu Chris Dercon, diretor do museu londrinense.

Os Tanques serão abertos ao público na quarta-feira com uma obra audiovisual do artista sul-coreano Sung Hwan Kin, que inaugura o festival cultural pelos Jogos Olímpicos de Londres 2012, do qual participarão mais de quarenta artistas, dentre os quais a cubana Tania Bruguera, a istraelense Keren Cytter e o francês Boris Charmatz.

Junto com Sung Hwan Kim, que parte da literatura e das lendas tradicionais para produzir trabalhos com mídias como áudio, filme ou escultura, debuta no novo espaço da Tate a coreografa belga Anne Teresa de Keersmaeker, que apresenta a performances ‘Fase, quatro movimentos com a música de Steve Reich’.

A montagem da veterana bailarina, que pretende encenar a música mais do que ilustrá-la, enche de vida a estrutura de cimento que são os Tanques, onde se cria uma curiosa dinâmica com os espectadores que rodeiam os artistas.

Inside/Outside: Materialising the Social

Dos três tanques – explicou Serota –, um se reservará para o uso do museu e os outros dois albergarão exposições encarregadas especialmente ou organizadas a partir da coleção da Tate, além de oficinas educativas.

Nas “galerias transformadoras”, espaços adjacentes aos tanques, serão expostas obras adquiridas nos últimos anos pela Tate Modern, como a montagem audiovisual ‘Ligh Music 1975’, de Lis Rhodes, e ‘Christal Quilt 1987’, da norte-americana Suzanne Lacy.

O festival dos Tanques durará até dia 28 de outubro e desde essa data o espaço volta a ser fechado temporariamente para a continuação das obras de expansão da Tate, que significarão a adesão de um grande espaço à emblemática galeria.

* Publicado em El País, em 16 de julho de 2012.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>