TecnoArteNews

Notícias sobre cultura e arte contemporânea

quarta-feira

27

junho 2012

0

COMENTÁRIOS

Elvis não morreu! Artista clona rato com informação genética de Elvis Presley

Escrito por , Postado em Destacadas, Estéticas Tecnológicas

all that i am clone rato elvis presley 05

Elvis não morreu! A instalação All That I Am (Tudo o que sou), do artista inglês Koby Barhad, utiliza ratos clonados com a informação genética de Elvis Presley. Os pequenos mamíferos foram submetidos a uma réplica contextual, em pequena escala, dos momentos mais significativos da vida do astro com a intenção de forçá-los a repetir sua biografia.

Em um leilão no site e-Bay, Barhad comprou por 22 dólares um fio de cabelo autêntico de Elvis. Com a informação genética, verificou-se a sequência genética do cabelo para identificar os diferentes traços de comportamento. Detectaram-se distintas capacidades, como a sociabilidade, o rendimento esportivo, a tendência à obesidade e inclinações a vícios.

Depois Barhad construiu um dispositivo desenhado a partir dos capítulos mais importantes da vida de Presley.  Em uma espécie de jaula vertical equipada com tecnologia especial, distribuiu sequências de acordo com o momento a replicar. No primeiro nível o rato com os genes de Elvis está junto a outro rato com a informação genética de sua mãe, importante figura na carreira do músico.

Em seguida, Barhad propôs um sistema que emula o esforço de Elvis para conseguir o reconhecimento social. Nesse ponto o rato-Elvis se mistura a outros ratos que o perturbam, tal como os meios de comunicação que faziam o possível para intrometer-se em sua intimidade.

Em um próximo nível, o rato-Elvis vive isolado com grandes quantidades de comida, o que reflete uma vida de luxo e solidão que teve de suportar. E em um dos últimos níveis, a ansiedade de Elvis, seus vícios e sua descompensação física.

Durante todo o processo, rato-Elvis está acompanhado pelos clones de sua mãe e sua esposa. Mas, no final, o rato fica completamente isolado e só, tal como em sua vida real.

Com All That I Am, o artista investiga se é possível quantificar uma vida a partir de dados puros como pode ser uma sequencia genética e o percurso de acontecimentos principais na vida de uma pessoa. Além disso, reflete se cada um de nós poderíamos ser distintos se tomássemos decisões diferentes em momentos fundamentais de nossas vidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>