TecnoArteNews

Notícias sobre cultura e arte contemporânea

terça-feira

18

setembro 2012

0

COMENTÁRIOS

Maçã contem sequência de DNA com a Declaração Universal dos Direitos Humanos

Escrito por , Postado em Destacadas, Estéticas Tecnológicas

Blighted By Kenning charlotte jarvis 01

A maçã sempre teve uma carga metafórica muito densa. Charlotte Jarvis, em seu projeto Blighted By Kenning, joga com a carga semântica desse fruto em nossa história. Em Blighted By Kenning, as maçãs carregam uma sequência de DNA que representa a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Em outras palavras, enquanto uma pessoa come a maçã, está ‘mastigando’ e ‘digerindo’ o documento adotado pela Assembléia Geral das Nações Unidas que reúne os direitos básicos de todos os seres humanos.

Esta é uma obra de bioengenharia que teve início em fevereiro de 2012. As maçãs foram extraídas de um pequeno cultivo situado no Tribunal Internacional da Justiça de Haya. Posteriormente foram enviadas a laboratórios de análise genômica de distintas partes do mundo para que nelas fosse incorporado o DNA sintético com a codificação pertinente.

O processo é bastante simples e se utiliza com frequência. Cada letra do alfabeto está representada por um codão (sequência de três bases nitrogenadas de RNA mensageiro que codificam um determinado aminoácido ou que indicam o ponto de início ou fim de tradução da cadeia de RNAm). Então, “Artículo One” (Artigo Um) poderia ser escrito no genoma com o seguinte código: GCTCGTACTATTTGTTTAGAAAGAATAAATGAA. E assim sucessivamente, cada palavra da declaração tem sua codificação. Com o DNA terminado, gerou-se uma substância com a qual se rociou as maçãs. Essa é uma substância muito estável que pode permanecer na superfície da fruta durante décadas.

A artista comeu um dos exemplares durante a inauguração da mostra, ocorrida em agosto deste ano. A montagem contemplava treze maçãs que sofreram intervenção genética, uma delas foi apresentada em no interior de uma caixa de blindex. Também foram expostos, na ocasião, os gráficos da cadeia de DNA em 3D, sua codificação por escrito e quatro vídeos com comentários de investigadores relacionados com o desenvolvimento científico.

Jarvis explicou que desenhar um código de DNA a partir da Declaração Universal dos Direitos Humanos é o mesmo que produzir potencialmente uma proteína de direitos humanos que se incorpora ao corpo. No site oficial do projeto, a artista postou as cartas que foi enviando para concretizar sua ideia. Nos textos se encontra a resposta aos desafios éticos e práticos surgidos durante o processo de criação da obra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>