TecnoArteNews

Notícias sobre cultura e arte contemporânea

segunda-feira

28

maio 2012

0

COMENTÁRIOS

O controle de comunicação das bactérias: a bioarte de Anna Dumitriu

Escrito por , Postado em Destacadas, Estéticas Tecnológicas

anna dumitriu bioarte 01

O trabalho da artista visual Anna Dumitriu borra as fronteiras entre arte e ciência ao aproveitar-se das tecnologias emergentes. Suas instalações, intervenções e performances usam uma variedade de mídias digitais, biológicas e tradicionais, incluindo bactérias vivas, robótica, mídia interativa e têxteis.

Anna Dumitriu é fundadora e diretora do Institute of Unnecessary Research, que reúne um grupo de artistas e cientistas cujos projetos buscam romper as fronteiras disciplinares e críticas da pesquisa contemporânea.

Os trabalhos de Dumitriu investigam os novos problemas éticos que surgem quando os artistas criam obras de arte em laboratório.

Communicating Bacteria (Comunicando Bactérias) é um de seus mais recentes projetos de arte, que combina bioarte, técnicas têxteis e projeções de vídeo 3D, para explorar um novo campo de pesquisa em curso, a comunicação bacteriana. Anna Dumitriu pretende que o projeto envolva um grande debate público acerca do controle das infecções.

As bactérias desenvolvem sistemas complexos de comunicação, o que vem sendo investigado como uma forma de inteligência social dado que essas formas de vida podem trabalhar em conjunto, obter informações sobre seu ambiente e utilizar os dados de modo significativo. A partir do uso de produtos químicos de sinalização, as bactérias podem transportar mensagens para as células vizinhas, que podem fazer parte de sua colônia ou não.

Para Dumitriu é importante tornar público o debate acerca dos avanços da microbiologia. O poder de interferir na comunicação entre bactérias ainda algo precoce na microbiologia. No entanto, já se sabe que é possível conduzir o comportamento das bactérias.

Communicating Bacteria envolve o desenvolvimento de uma arte que inclui design têxtil corado com corantes feitos a partir de bactérias que mudam de cor de acordo com o comportamento e comunicação entre as bactérias. O tecido cortado e os bordados são criados a partir do uso de bactérias geneticamente modificadas. O vestido é colocado sobre uma placa de agar de um metro quadrado. Após um dia ou mais de incubação, as bactérias apresentam os sinais de comunicação. As bactérias que teriam a cor branca, passam a apresentar a cor púrpura. O processo foi filmado e, usando tecnologia de mapeamento em todo o vestido, um vídeo 3D foi projetado na instalação.

O projeto segue em andamento e o que Anna Dumitriu busca, na nova fase, é desenvolver métodos para apresentar o projeto que ocorre ao vivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>