TecnoArteNews

Notícias sobre cultura e arte contemporânea

segunda-feira

8

outubro 2012

1

COMENTÁRIOS

Um vândalo desfigura um ‘rothko’ na Tate Modern

Escrito por , Postado em Destacadas, Estéticas Tecnológicas

rothko-vandalismo-tate-modern

Sentou-se diante do ‘rothko’ durante uns instantes e foi direto ao lenço do gênio do expressionismo abstrato e o pichou em uma de suas esquinas. O desastre foi confirmado pela Tate Modern no último domingo.

De acordo com o porta-voz do centro, a polícia está investigando o ocorrido, embora o visitante vândalo não tenha sido localizado. A Tate foi fechada durante um pequeno tempo depois de que se descobriu a intervenção na tela de Mark Rothko. O incidente se produziu às 15:25h, segundo comunicado emitido pela galeria.

rothko-vandalismo-tate-modern

Um vândalo picha um ‘rothko’ na Tate Modern

A Tate pode confirmar que… houve um incidente na Tate Modern no qual um visitante desfigurou um dos murais Seagram de Rothko, aplicando em uma pequena zona do quadro pintura negra com um pincel.

Vladimir Umanets. A Potential Piece of Yellowism” (Uma potencial peça do amarelismo), escreveu. A referencia aparece também em uma web www.thisisyellowism.com, dirigida por duas pessoas que se identificam como Vladimir Umanets e Marcin Lodyga e descrita como um “blog superficial” de arte conceitual, segundo o Telegraph.

“Muito estranho. Sentou-se durante um momento e então foi até o lenço e fez uma brusca investida”, escreveu no Twitter uma testemunha do incidente, Tim Wright, que também publicou uma imagen do desastre. “A pessoa caminhou tranquilamente, pegou uma caneta pincel e o marcou. Surrealista”, relatou.

Os murais Seagram

Em 1958, os arquitetos da torre Seagram encomendaram ao pintor – considerado um dos mais importantes artistas do século XX – unas grandes telas de até 2,66 metros por 4,57 metros para decorar os muros do luxuoso restaurante Fours Seasons, na planta baixa do edifício no coracao de Manhattan.

Rothko, por alguma razão ainda não clara, decidiu finalmente cancelar a encomenda, devolvendo as somas recebidas e doando as telas á realizadas, sobretudo à Tate.

As telas chegaram a Londres em 25 de febreiro de 1970, no mesmo dia em que o artista – com 66 anos – suicidou.

As ‘paisagens de cor’ do artista russo-americano alcançam preços de milhões nos leilões. Em maio deste ano, a tela de Rothko ‘Orange, Red, Yellow’ foi leiloada pela Christie’s por 86,9 milhões de dólares, um novo recorde para o artista.

* Publicado por El País, em 07 de outubro de 2012.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>