TecnoArteNews

Notícias sobre cultura e arte contemporânea

terça-feira

20

novembro 2012

0

COMENTÁRIOS

Festival Multiplicidade apresenta tributo a John Cage no Oi Futuro

Escrito por , Postado em Destacadas, Encontros, Eventos, Exibições

festival-multiplicidade-john-cage

O Festival Multiplicidade – em cartaz até 6 de dezembro no Oi Futuro – apresenta, no próximo dia 22, um tributo ao centenário do nascimento do compositor americano John Cage, com os cariocas do PianOrquestra, ao lado de Pedro Rebello e Justin Yang, membros do SARC (Sonic Arts Research Centre), centro de pesquisas fundado sob a direção de Karlheinz Stockhausen, localizado em Belfast (Irlanda do Norte). Esse resgate da obra de Cage no concerto-homenagem pretende apresentar a bula de experimentações da música eletroacústica.

O programa destacará o chamado piano preparado e as diferentes abordagens de música indeterminada, que são elementos musicais decididos na hora da execução – duas contribuições da mente de vanguarda de Cage. Na hora, obras serão integradas num programa de criação de uma peça colaborativa exclusiva para o concerto. Serão sete músicos tocando dois pianos simultaneamente no palco do Multiplicidade.

Além de reverenciar as inovações de John Cage através de suas obras, o repertório – decidido ao longo dos últimos meses em uma troca constante entre Rio e Belfast – também traz peças de discípulos do compositor, como Arvo Part e Gyorgy Ligeti. No espetáculo, enquanto as obras são apresentadas, o americano Justin Yang cuidará do design visual gerando em tempo real grafias musicais inspiradas em partituras de Cage.

Quem fechará a noite será o DJ dinamarquês Tomas Barfod, integrante da banda WhoMadeWho, que traz músicas de seu novo trabalho solo Salton Sea.

“A apresentação do Tomas Barfod conta com o apoio do Instituto Cultural da Dinamarca, instituição sem fins lucrativos ligada ao Ministério de Cultura da Dinamarca. Esta apresentação também celebra o lançamento da programação de música eletrônica da plataforma Dinâmica Dinamarquesa, que apresentará músicos dinamarqueses para o público brasileiro nos próximos anos, criando assim novas colaborações entre os artistas de ambos os países” diz Batman Zavareze, curador do festival.

Sobre o Multiplicidade – Idealizado por Batman Zavareze em 2005, é um dos mais importantes festivais audiovisuais do Rio de Janeiro. O evento com seu formato bastante original, onde as atrações são apresentadas em intervalos para potencializar as performances, ocupa o calendário cultural de setembro a dezembro com um programa de performances nacionais e internacionais, sempre com o conceito de unir em um mesmo palco arte visual e sonoridade experimental. “Os conceitos de criação, cada vez mais híbridos, estão sendo revistos, discutidos e adaptados junto a uma multiplicação de novos artistas com suas ferramentas digitais, produzindo e consumindo: textos, imagens e sons. São muitas experimentações por segundo.  O cientista e o artesão subirão ao nosso palco para experimentações”, diz Batman.

A Oi e o projeto Multiplicidade renovam, a cada ano, uma parceria fundamentada no conceito de convergência e na inovação permanente”, diz Maria Arlete Gonçalves, diretora de Cultura do Oi Futuro. “A união de arte e tecnologia, presente no DNA do Oi Futuro, abre espaço à diversidade de linguagens, os cenários inusitados e sonoridades experimentais”, afirma.

Seleção artística de 2012 - Esse ano, a curadoria se pauta na convivência entre o low tech e o high tech. Já passaram pelo palco do Multiplicidade nessa oitava edição: Pedro Sá e Domenico Lancellotti interagindo com trabalhos do artista plástico Paulo Nenflídio; o grupo Rabotnik; o DJ Maurício Valladares; o artista digital japonês Ryoichi Kurokawa, com o espetáculo audiovisual “Rheo”; e o duo mineiro O Grivo, conhecido também pela parceria nas trilhas sonoras dos filmes do artista plástico Cao Guimarães.

Como parte das colaborações junto ao SARC (Sonic Arts Research Center), de Belfast, o Multiplicidade se uniu ao Festival Panorama para aparesentar a performance de Marco Donnarumma, Miguel Ortiz  e Anna Weisling, dentro do projeto Happenings. Os três artistas, mestres e doutores trouxeram um espetáculo que misturou pesquisa científica, música e interferências visuais.

O Reino Unido tem um papel exponencial na cultura digital e eletrônica no século XXI. Muito pelo investimento continuado na educação avançada, assim como a forte presença nas artes contemporâneas. É um epicentro do mundo cultural. Por este motivo, o Festival Multiplicidade 2012 tem um imenso orgulho em ter em sua programação uma série de artistas intrigantes que pesquisam o que existe de mais vanguarda em arte sonora, ciência, live cinema e tecnologia. É um olhar transversal e enriquecedor em buscas de novas linguagens que se viabiliza com a parceria do British Council” diz Batman Zavareze, curador do Festival Multiplicidade.

Depois do tributo ao John Cage, o festival recebe – no próximo dia 29 – os ingleses do D-Fuse com um trabalho imersivo que mistura duas de suas performances-instalações, “Tekton” e “Particles”, assinados pelo coletivo. Em seguida, encerrando a programação, no dia 6 de dezembro, será a vez do tropicalista Tom Zé encontrar o escritório de arte digital SuperUber para uma apresentação inédita e especial para o Multiplicidade.

Site oficial: http://www.multiplicidade.com/2012/

Sobre Batman Zavareze Idealizador e curador do Multiplicidade, Batman Zavareze, 39 anos, dedica-se a dois grandes projetos paralelos ao festival: ele assina a direção de arte da nova turnê da cantora Marisa Monte, “Verdade, Uma Ilusão”, para a qual desenvolveu uma concepção visual e tecnológica com múltiplas projeções; e todo o trabalho de vídeo da nova peça de Marco Nanini, com direção de Guel Arraes. Batman também é curador do projeto Happenings, que aconteceu durante 2 anos na Casa França-Brasil e este ano ocorre no Centro de Artes Helio Oiticica, com manifestações experimentais de arte contemporânea.

Carioca, Batman graduou-se em Comunicação Visual e iniciou sua experiência profissional na MTV em 1992. Já no fim da década de 90, Batman foi convidado para fazer uma residência de Arte na “Fabrica”, Centro de Pesquisa de Comunicação da Benetton, coordenada pelo fotógrafo e diretor de criação Oliviero Toscani.

Desde então, Batman vem trabalhando em exposições, shows, peças de teatro e programas de broadcasting para canais como MTV, Multishow, GNT, SporTV, Futura e Discovery, entre outros. Já teve seu trabalho publicado e exposto em revistas, livros e mostras em importantes centros culturais no Rio de Janeiro – como CCBB, Museu Nacional Belas Artes, Paço Imperial e Oi Futuro –, e também em países como Itália, Alemanha, Japão, Costa Rica, Portugal, França, Suíça, China e Rússia. Através de sua empresa, 27 Mais 1 Comunicação Visual, dirige e colabora em eventos que envolvem a tecnologia como forma de comunicação, tais como: Coca Cola Vibe Zone, Sky Live Multimídia, desfiles de moda (SPFW e Fashion Rio), peças de teatro (Felipe Hirsch, Gerald Thomas, Christiane Jatahy e Guel Arraes), convenções de empresas (Oi, Coca Cola, Souza Cruz e Lancôme), entre outros. Em 2005, criou o Festival Multiplicidade, evento do qual também é curador, que chega a sua oitava edição agora em 2012 sempre pautado por espetáculos de arte digital e música avançada.

PROGRAMAÇÃO:

Dia 29 de novembro (Multi_05_2012)

Será a vez do D-Fuse, coletivo liderado por Michael Faulkner e Matthias Kispert, com base em Londres, mostrar a fusão de dois trabalhos: “Tekton” e “Particles”. Com direção visual de Faulkner – fundador do grupo ainda no início da década de 90 –, o D-Fuse traz um live cinema feito de paisagens digitais, através de formas, cores e luzes em movimento, em sincronia com a trilha sonora de ambiências eletrônicas assinada por Kispert. Depois da apresentação do D-Fuse, Matthias Kispert será DJ na festa que encerrará o quinto dia de Multiplicidade.

Dia 6 de dezembro (Multi_06_2012)

O encerramento do Multiplicidade em 2012, reunirá o eterno tropicalista Tom Zé e sua banda que vai se apresentar com um dos mais importantes escritórios de arte digital do Brasil, o SuperUber. Tom Zé, que tocou em 2006 no palco do Multiplicidade, em mais um encontro inédito, imprevisível e certamente uma experiência inesquecível.

SERVIÇO

Multi_04_2012 > Tributo aos 100 anos do John Cage com PianOrquestra (Brasil) , Pedro Rebelo + Justin Yang (Sonic Arts Research Center/ Irlanda do Norte)

Dia 22 de novembro (quinta-feira)

Local: Oi Futuro do Flamengo – Rua Dois de Dezembro, 63 (Rio de Janeiro)

Horário: às 20h no teatro: PianOrquestra + Pedro Rebelo + Justin Yang

Após apresentação: DJ Tomas Barfod

Entrada: R$ 20,00 (com meia-entrada)

Capacidade do teatro: 84 lugares a cada sessão

Censura: Livre

info@multiplicidade.com

Curadoria: Batman Zavareze

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>