Você está aqui: Home » Eventos » Concursos » Fundação Telefônica apresenta em ARCOMadrid os prêmios VIDA 13.2

Fundação Telefônica apresenta em ARCOMadrid os prêmios VIDA 13.2

A partir de amanhã, e até 19 de fevereiro, a Fundação Telefônica apresenta, na ARCOMadrid 2012, as obras ganhadoras dos prêmios VIDA 13.2, Concurso Internacional de Arte e Vida Artificial que, desde sua criação, faz mais de uma década, tem se consolidado como um dos prêmios mais importantes no âmbito da media art, refletindo o crescente interesse dos artistas pela cada vez mais difusa fronteira entre as noções de vida e vida artificial.

Naked on Puton

Os criadores de Valk, Mansoux e Dave Griffths (Holanda/Inglaterra) obtiveram o primeiro lugar de VIDA 13.2 com Naked on Pluto, game online que reflete sobre os meios invasivos com os quais se constrói o “software social”. O jogo se coloca em andamento quando o usuário se registra na página do projeto e tem acesso a uma cidade denominada “Elastic Versailles” na qual se anima uma comunidade de cinquenta e sete “bots” de vida artificial que interagem com o jogador, capturando os dados de sua conta no Facebook. Dessa forma tem início um intercâmbio textual entre jogador e sistema, no qual os “bots” mesclam e confundem dados, rostos, perfis, gerando um conjunto de relações extremamente familiares. A complexidade do intercâmbio aumenta à medida em que o jogo avança. O jogador só pode se libertar da perseguição dos “bots” mantendo resistência e esperando o momento no qual os recursos destes se esgotem ou a lógica da trama não tenha mais sentido. Naked on Pluto expõe os mecanismos que nos levam a ser protagonistas de uma realidade simulada enganosa, habitual nas redes sociais, e que está cobrando importância nos hábitos sociais contemporâneos.

Ocular Revision

Ocular Revision, do artista norte-americano Paul Vanouse, ficou com o segundo lugar no concurso VIDA 13.2. Trata-se de uma instalação composta por duas imagens circulares simétricas da Terra similares às vistas de satélite e que servem para examinar a noção de “mapas genéticos”. Nas imagens se insere o DNA da bactéria E. coli por meio de um sistema de eletroforese realizado especificamente para a obra, que se situa no centro da instalação. Duas imagens idênticas mostram o movimento do gel ao longo do perímetro dos mapas circulares, de modo que os segmentos do DNA que se dispõem em imagens se assemelham ao traçado dos continentes na representação do planeta. O projeto reflete sobre as variações que se dão no seio das ciências da vida entre os períodos denominados biológicos e pós-biológicos, sendo o primeiro aquele que define a célula como unidade básica da vida, e o segundo o que deriva sua atenção a um componente no vivo, o DNA, que se avalia como código mais do que como substância material. O artista considera que não se trata de uma apreciação de escala, mas de uma mudança substancial em quanto à visão da vida orgânica e, portanto, uma alteração cultural, um tema que já havia sido tratado pelo artista em Relative Velocity Inscription Device, em VIDA, no ano de 2002.

Protei

Protei é a obra do artista e promotor do projeto César Harada (Japão/França) que obteve o terceiro lugar de VIDA 13.2. O objetivo de Protei é o desenvolvimento e a produção global, distribuída e interdisciplinar de uma série de embarcações autônomas que contam com uma estrutura que atua em caso de catástrofe no meio ambiente e, em especial, em casos de derramamento de petróleo. Iniciada depois do desastre ecológico Deepwater Horizon, a equipe de Protei tem previsto disseminar esses mecanismos nos mares de todo o mundo, como tomada de consciência e aliança global que favoreça o cuidado e a limpeza de materiais poluídos e lixo. O projeto ilustra a preocupação global acerca das recorrentes catástrofes no meio ambiente provocadas pela ação do homem, mostrando a confluência da ciência, design, arte, ativismo no meio ambiente e uma ética de código aberto que busca, na aliança interdisciplinar, um modo de melhorar nosso entorno.

Os prêmios principais são acompanhados de sete Menções Honrosas que, neste ano, correspondem aos seguintes projetos:

- That Which Lives in Me, de Bulatov e Chebykin (Rússia);

- Zoanthroid –a Hybrid Entity, a Technile Organism, de Hardmood Beck (Alemanha);

- Oh!m1gas: biomimetric stridulation environment, de Shen (Equador);

- Intelligent Bacteria: Saccharomyces Cerevisiae Togar Abraham, Nur Akbar Arofatullah, Agus Tri Budiarto e Vincensius Christiawan (Indonésia);

- Back, here, below, formidable [the rebith of prehistoric creatures], Humeau (França);

- Growth Pattern, de Kudla (Estados Unidos);

- Transducers, de Verena Friedrich (Alemanha).

Na modalidade de Incentivos à Produção, que apoia projetos sem desenvolver de artistas que trabalham na Espanha, em Portugal e na América Latina, foram premiadas as propostas:

- Concerto fotosintético, Pin Lage (España);

- Faith (Molding Faith – The Shape of the Signifier), Czibulka e Ivor Diosi (Espanha/Eslovênia);

- Institute for the Studies of Biological Enigmas-Mar Menor Research, de Clara Boj Tovar e Diego Diaz García (Espanha);

- Territorio Exquisito, de  ía Pía Vásquez Cepeda (Chile/México);

- Pixel Bite, de Suárez Bárcena (Espanha);

- SPEAK, do casal de artistas Rejane Cantoni e Leonardo Crescenti (Brasil).

Deixe um comentário

© 2012 TechnoArteNews. All Rights Reserved. Reproduction without explicit permission is prohibited.

Retornar ao topo