TecnoArteNews

Notícias sobre cultura e arte contemporânea

segunda-feira

15

agosto 2011

0

COMENTÁRIOS

Instituto Sergio Motta anuncia os 12 artistas indicados aos prêmios de 2011. Confira todos os detalhes!

Escrito por , Postado em Concursos, Eventos

9PSM_logo_completo

Sob coordenação de Giselle Beiguelman, as comissões de Seleção e Premiação do 9º Prêmio Sergio Motta de Arte e Tecnologia anunciam os 12 artistas indicados aos prêmios de 2011, entre 352 inscritos. Os participantes dessa edição foram submetidos a duas etapas de júri: Comissão de Seleção: Adriana Amaral (RS), Clarissa Diniz (PE), Eduardo Jesus (MG), Marcos Boffa (SP) e Priscila Farias (SP). Comissão de Premiação: Claudia Assef (SP), Cícero Silva (SP), Ivana Bentes (RJ), Tadeu Chiarelli (SP) e Tiago Mesquita (SP).

Hoje você conhece os selecionados. Durante a semana você conhecerá aqui no TecnoArteNews os projetos selecionados!

Indicados na Categoria Início de Carreira:

- Alice Miceli

- Cláudio Bueno

- Jeraman

- mmnehcft & MANIFESTO21.TV

- Pablo Lobato

- Panetone

- Ricardo Carioba

- Vivian Caccuri

Indicados na Categoria Meio de Carreira:

- Dias & Riedweg

- Lucas Bambozzi

- Raquel Kogan

- Zaven Paré

Premiação

Os premiados e o Prêmio Hors Concours serão anunciados dia 3 de outubro em cerimônia no Museu da Imagem e do Som – MIS. A categoria início de carreira dará 4 Prêmios de R$15 mil cada; os criadores em meio de carreira concorrem a 2 prêmios, de R$ 30 mil cada. O Prêmio Hors Concours, para um artista ou teórico das áreas abrangidas, premia com R$ 40 mil o reconhecimento pelo conjunto da atuação.

Leituras de portfólios e Simpósio Internacional

No mesmo dia da premiação ocorrerão, nos períodos da manhã e tarde, leituras de portfólios dos 12 artistas finalistas da 9ª edição do Prêmio, que serão realizadas individualmente com a presença de um crítico internacional e um brasileiro. As Leituras são abertas ao público e também acontecem no MIS – SP.

Indicados do 9º PSM – Categoria Início de Carreira

Alice Miceli

Área de participação “Arte e Ciência”. Miceli é uma artista que tem tratado de temas diversos relacionados a fatos sociais, históricos, sempre em diálogo com a ciência e a tecnologia, resultando num trabalho poético que lida principalmente com a memória. Tem desenvolvido trabalhos em vários locais do mundo e participado de eventos no Camboja, Alemanha, Finlândia, Indonésia, Estados Unidos, Bélgica, entre outros. A criação de imagens específicas é o elemento essencial de sua produção, em vídeo e fotografia. Saiba mais: Projeto Chernobyl 

Cláudio Bueno

Área de participação “Visões de Rede”. Doutorando em Artes Visuais na ECA-USP, Cláudio Bueno atua em grupos de prática artística e de pesquisa. Foi residente do LabMIS, recebeu Menção Honrosa no Ars Electronica 2011, ganhou o Rumos Arte Cibernética do Itaú Cultural, o prêmio Mídias Locativas do Arte.Mov e foi indicado ao Prêmio Sérgio Motta 2010. Atualmente é residente no La Chambre Blanche no Canadá. Seus trabalhos articulam noções de rede, participação, lugar e da vida mediada por dispositivos eletrônicos e digitais. Saiba mais: buenozdiaz.net

Jeraman

Área de participação “Artes Interativas”. Mestrando em Ciência da Computação pela Universidade de Pernambuco, com ênfase em Realidade Aumentada e Computação Musical, Jeraman é cientista, pesquisador e artista, com base em Recife, Pernambuco. Saiba mais: jeraman.info 

mmnehcft & MANIFESTO21.TV

Área de participação “Artes Interativas”. mmnehcft (2003) & MANIFESTO21.TV (2006) realizam dispositivos audiovisuais (on/offline) propulsores do autoconsciente coletivo numa linha de pesquisa e atuação em que se opera a simbiose entre conceito, ativismo, interação, arte e educação-comunicação a partir de agenciamentos cotidianos: conscientização do ser-urbano (“cybernetic+organisms”) sob “vigilância+espetáculo=consumo”. Saiba mais: www.manifesto21.com.br 

Pablo Lobato

Área de participação “Imagem Digital e Animação Computacional”. Graduado pela Faculdade de Comunicação e Artes – PUC Minas, especializou-se em cinema – PUC Minas/UFMG. Um dos criadores da Teia – Centro de pesquisa audiovisual em Belo Horizonte. Selecionado pelo projeto Bolsa Pampulha (2007-2008). Foi bolsista da John Simon Guggenheim Foudation, NY (2008-2009). Nos últimos anos exibiu seus trabalhos em instituições de arte no Brasil e exterior, como MAM (SP), MoMA (NY), Museu Tamayo (MX), Akademie der Kunst (Berlim). Saiba mais: www.teia.art.br

Panetone

Área de participação “Artes Sonoras”. Fascinado pela mecânica, eletrônica, símbolos e formas, Panetone desenvolve um trabalho onde as técnicas convencionais se tornam laboratórios poéticos. Adepto ao movimento faça-você-mesmo, utiliza de sucatas eletrônicas e fragmentos de teoria para dar suporte a experimentação livre. Seu trabalho trata da apropriação, desmitificação e associação de objetos e ideias, os resultados são concertos audiovisuais, instalações, intervenções e uma série de laboratórios e oficinas. Saiba mais: panetone.net 

Ricardo Carioba 

Área de participação “Imagem Digital e Animação Computacional”. Formado em Artes Plásticas pela FAAP, em São Paulo onde vive e trabalha, desde 1999 vem realizando exposições individuais e coletivas, e apresentações audiovisuais. Realizou as exposições individuais Escape para outra estáticaBranca SuaWhte BoxMotris e Sem título em São Paulo; In Side#No Form, em Londres, e LaDo4X4, no Rio de Janeiro. Participou de exposições coletivas em São Paulo, Curitiba, Belém, Recife e Salvador, e realizou apresentações  musicais em São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Recife, Londres e Nova York. Saiba mais: www.ricardocarioba.com

Vivian Caccuri

Área de participação “Artes Sonoras”. Natural de são Paulo, a artista mora e trabalha no Rio de Janeiro. Atualmente é pesquisadora visitante da Universidade de Princeton nos EUA, no departamento de Artes e Literatura. No Rio, foi pioneira na ocupação da antiga fábrica da Bhering na região portuária, que se tornou referência no atual movimento de revitalização da região. É graduada em Artes Plásticas pela UNESP e mestre em Estudos do Som Musical pela Escola Nacional de Música da UFRJ com o tema “Ouvindo a Arte Brasileira”. Saiba mais: viviancaccuri.net 

Indicados do 9º PSM – Categoria Meio de Carreira

Dias & Riedweg

Área de participação “Imagem Digital e Animação Computacional”. Maurício Dias (Rio de Janeiro, 1964) & Walter Riedweg (Lucerna, Suíça, 1955) trabalham juntos desde 1993, desenvolvendo projetos interativos e interdisciplinares no campo das artes visuais e da performance contemporâneas. Seu trabalho investiga como as psicologias privadas afetam e constituem o espaço público e vice-versa, tendo como característica principal o envolvimento do público na concepção e execução da própria obra. Dias & Riedweg vivem e trabalham atualmente no Rio de Janeiro.

Lucas Bambozzi

Área de participação “Artes Interativas”. Artista multimídia e curador em novos meios, trabalha em mídias como vídeo, filme, instalação, site-specifics, performances audiovisuais e projetos interativos. Seus trabalhos vem sendo frequentemente exibidos em mostras em mais de 40 países. Foi curador e coordenador de eventos como Sónar SP (2004), Digitofagia (2004), Life Goes Mobile (Nokia Trends 2004 e 2005), Motomix (2006), Lugar Dissonante (2009). É criador, curador e coordenador geral do Vivo arte.mov Festival Internacional de Arte em Mídias Móveis que acontece desde 2006, em várias capitais do Brasil. Foi artista residente no CAiiA-STAR Centre/i-DAT (Planetary Collegium) e concluiu seu MPhil na Universidade de Plymouth na Inglaterra. Em 2010 foi premiado no Ars Eletronica em Linz/Áustria e em 2011 teve uma retrospectiva de seus trabalhos no Laboratório Arte Alameda, na Cidade do México. São uma constante em seus trabalhos recentes as questões relacionadas ao conceito de espaço informacional e as particularidades de uma arte produzida a partir das mobilidades e imobilidades do contexto urbano. Saiba mais:  www.lucasbambozzi.net 

Raquel Kogan

Área de participação “Artes Interativas”. Formada em arquitetura. No Rumos Transmídia 2002 faz reflexão#1. A investigação em mídias digitais continua: projeção, 401, ocupação1 sidespecific , reflexão#2 na exposição cinético _digital e no ZKM; reflexão#3 no art@outsiders e File Porto Alegre, ponte no Sesc Paulista, Espaço Fundação Telefonica e na exposição agora/ágora. O objeto rever é exposto no Centro Cultural da Espanha, a vídeo-instalação mov_ing no Festival Transitio MX2, Crtl V+Crtl C no Sesc Pompeia e na exposição code live. Faz a instalação reler para a 4ªbienal emoção art-tificial e participa do File Prix Lux. Saiba mais: www.raquelkogan.com

Zaven Paré

Área de  participação “Arte e Ciência”. Artista em “Machine Art”, pioneiro no uso dos robôs no palco e pesquisador como “Robot Drama Researcher” do Laboratório do Professor Hiroshi Ishiguro no Japão (JSPS). Teve uma exposição itinerante (Cyber Art) nas 5 Caixas Culturais nos 3 últimos anos. Além disso, teve seu trabalho prestigiado em importantes instituições como: Cynthia Breazeal Lab no Media Lab in MIT, Universidade do Connecticut e da Carolina do Norte, CalArts, UQAM, Universidade de Osaka, Le Fresnoy, o CECN, CREAM Festival em Yokohama, Henson Festival em NY. Saiba mais: http://www.cyberart.com.br/ 

Histórico do Prêmio

Observando a articulação entre cultura, sociedade e novas tecnologias, o Instituto tem realizado uma série de iniciativas que estão em consonância com as exigências do nosso tempo. É dentro desse pensamento que, no ano de 2000, foi criado o Prêmio Sergio Motta de Arte e Tecnologia, cujo objetivo é apoiar a criação artística brasileira em mídias eletrônicas e digitais.

Desde a sua criação, o Prêmio tem contemplado diversas áreas: artes visuais, música, literatura,dança, performance, artes interativas, arte e ciência e, ainda, pesquisas teóricas, que completam o perfil híbrido da premiação. Em suas oito edições, recebeu mais de três mil inscrições e distribuiu quase um milhão e meio de reais para os premiados e as bolsas-fomento para projetos inéditos. Paralelamente, o Instituto Sergio Motta desenvolve projetos voltados à prospecção e à difusão de novos criadores, como o Festival Conexões Tecnológicas e as Oficinas Territórios Recombinantes.

No Brasil e internacionalmente, o Instituto tem realizado parcerias com instituições como Museu Reina Sofia (Espanha), o ZKM (Karlsruhe, Alemanha), Ars Eletronica (Linz, Áustria), ISEA, Goethe Institut – São Paulo, British Council, AECID e CCE_SP, Memorial da América Latina, Museu de Arte Contemporânea de Goiás, Santander Cultural (RS), Museu de Arte Moderna da Bahia, Museu de Arte Moderna Aluísio Magalhães, entre outros.

Instituto Sergio Motta

O Instituto Sergio Motta é uma OSCIP – Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – que atua na sociedade civil por meio de um centro de projetos e debates, expressando o uso criativo das tecnologias e na difusão de inovações. E tem como missão a realização de ações que contribuam efetivamente para o desenvolvimento nacional em suas múltiplas e diversas formas de expressão.

Link-se:

Instituto Sérgio Motta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>