TecnoArteNews

Notícias sobre cultura e arte contemporânea

segunda-feira

16

janeiro 2012

0

COMENTÁRIOS

Veja os destaques do Conexões Globais 2.0, evento em Porto Alegre que discute, on-line, o ativismo na era internet

Escrito por , Postado em Encontros, Eventos, Festival

conexoes globais 2012

O mundo inteiro discute as novas possibilidades de mobilização social trazidas pela internet. Em Porto Alegre, esse debate ganhará novo folêgo em 2012 com a realização do Conexões Globais 2.0 –, evento que reunirá ativistas da cultura digital de diversos países na Casa de Cultura Mário Quintana, de 25 a 28 de janeiro, hiperlinkado ao Fórum Social Temático e ao Festival Internacional de Cultura Livre (FicLivre).

A programação inclui diálogos e webconferências (com ativistas que participaram de mobilizações em outras partes do mundo) sobre temas como mídias sociais, sustentabilidade, direitos na internet e democracia 2.0. Também serão realizadas oficinas e desconferências. Outro destaque do evento é a programação cultural. Com transmissão AO VIVO via internet, toda a comunicação do Conexões Globais 2.0 será colaborativa, ou seja, produzida pelos próprios participantes.

Confira os destaques dos Diálogos Globais, momento do Conexões Globais 2.0 que conectará o público via webconferência com ativistas que participaram das grandes mobilizações que questionaram os limites da democracia e chacoalharam o mundo em 2011:

25 de janeiro (quarta-feira)

. 16h – A intenet como direito humano, com Javier de la Cueva

A Organização das Nações Unidas elevou a internet ao patamar de Direito Humano. De acordo com a ONU, impedir o acesso à informação pela web infringe o Artigo 19, parágrafo 3, do Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos, de 1966. Pelo Artigo, todo cidadão possui direito à liberdade de expressão e de acesso à informação por qualquer tipo de veículo. No Brasil, tramita no Congresso Nacional o Projeto de Lei que cria o Marco Civil da Internet, estabelecendo direitos e deveres para a utilização da web no país. Em debate, temas como #bandalarga; #marcocivil  #cibercrimes #DH.

Debatedores: Maria do Rosário e Rogério Santanna

. 18h15 – Da Primavera Árabe à Internet na Construção da Democracia 2.0, com Olga Rodriguez

2011 ficou marcado pelas mobilizações por maior participação. Foi o ano dos manifestantes e indignados 2.0. Nos países árabes, a população se insurgiu e as ditaduras começaram a ruir. A onda se espalhou por todo mundo: milhões de pessoas foram às ruas questionar os limites da democracia representativa. Como estas experiências podem influenciar na construção de uma nova democracia tendo a internet como plataforma de apoio? #globalrevolution #gabinetedigital #primaveraarabe #globalchangeA Organização das Nações Unidas elevou a internet ao patamar de Direito Humano. De acordo com a ONU, impedir o acesso à informação pela web infringe o Artigo 19, parágrafo 3, do Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos, de 1966. Pelo Artigo, todo cidadão possui direito à liberdade de expressão e de acesso à informação por qualquer tipo de veículo. No Brasil, tramita no Congresso Nacional o Projeto de Lei que cria o Marco Civil da Internet, estabelecendo direitos e deveres para a utilização da web no país. Em debate, temas como #bandalarga; #marcocivil  #cibercrimes #DH.

Debatedores: Gilberto Gil, Antônio Martins e Vinícius Wu

26 de janeiro (quinta-feira)

. 16h – Ferramentas sociais para ativismo e militância política, com Javier Toret

As mídias digitais e as novas ferramentas de participação popular na construção do ativismo político. Estarão em debate questões como o sigilo das informações em redes como o Facebook e Twitter. Também falaremos sobre a perspectiva de construção de ferramentas livres das corporações e com garantia de privaciadade. #midiassociais #midiaslivres #facebook #twitter

Debatedores: Sérgio Amadeu da Silveira, Bernardo Guitiérres, Pablo Capilé, Vicente Jurado

- 18h15 – #OccupyWallStreet: Uma economia a serviço das pessoas, com Vanessa Zettler

Uma ocupação anticapitalista no coração do sistema financeiro mundial questionou o modelo da economia global e desafiou as grandes corporações. Vanessa Zettler, uma das primeiras a acampar em Wall Street, conta como tudo começou e as dinâmicas do acampamento. Debate de análise e perspectivas desse movimento. #occupywallstreet #OWS #globalchange

Debatedores: Giuseppe Cocco e Renato Rovai

27 de janeiro (sexta-feira)

- 16h – #OccupyLondon – Novas mídias e novos paradigmas, com Matheus Lock

A internet mudou nossas maneiras de se comunicar. Debate da comunicação de massas à comunicação em rede. Como as mídias sociais estão mudando a forma de fazer comunicação e ajudando na democratização da informação? #occupylondon #midiasdigitais

Debatedores: Vera Spolidoro, Rita Freire e Marco Weissheimer

- 18h15 – #Spanishrevolution – Direitos autorais na era digital, com Stéphane M. Grueso

Os novos desafios éticos e morais dos direitos do autor diante da revolução digital. Diálogo com o autor do “¡Copiad, malditos!”, primeiro ducumentário exibido pela TVE (Televisão Espanhola) com licenças Creative Commons. #reformaLDA #marcocivil #copyleft #cc

Debatedores: Rodrigo Savazoni e Jéferson Assumção

28 de janeiro (sábado)

- 16h – Sustentabilidade: controle de informação e conflitos ambientais, com Pablo de Soto

Cada vez mais a rede tem funcionado como um canal de diálogo e troca de informações que dificilmente seriam divulgadas pelas grandes empresas de comunicação. Essa prática fica visível especialmente em casos estratégicos, que colocam em risco a vida da população. Veja o caso do desastre nuclear no Japão que assolou o mundo em 2011: a internet é a grande diferença entre a época do desastre de Chernobyl e o de Fukushima. Graças ao uso da rede, a sociedade civil japonesa pôde romper a censura de governos e meios de comunicação de massa. A luta pela informação foi levada a cabo com jornalismo cidadão, mapas crowdsource da radioatividade e a veiculação de manifestações e protestos que não foram ao ar pela televisão.

Debatedores: a confirmar

- 18h15 – Territórios inovadores para cidadanias emergentes, com Domenico Di Siena

Em debate, os novos territórios – do ciberespaço à cultura popular emergente. A cultura hacker e a #culturadigital na construção de territórios inovadores. A relação com o meio ambiente e com uma economia auto sustentada. #hacktetura #hacker #culturadigital]

Debatedores: Ivana Bentes, Claudio Prado e Beá Tibiriça

Serviço

O quê? Conexões Globais 2.0

Quando? 25 a 28 de janeiro

Onde? Casa de Cultura Mário Quintana, em Porto Alegre (RS).

HashTag: #conexoesglobais

Twitter: @conexoesglobais

Facebook: Conexões Globais

Site: http://conexoesglobais.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>