TecnoArteNews

Notícias sobre cultura e arte contemporânea

sexta-feira

22

julho 2011

0

COMENTÁRIOS

De volta ao planeta dos macacos? Mais um caso de ficção científica ou realidade?

Escrito por , Postado em Próxima Natureza

de volta ao plenaeta dos macacos 01

A 20th Century Fox lançou recentemente o terceiro clip do filme O Planeta dos Macacos – A Origem(Rise of the Planet of the Apes), Dirigido por Rupert Wyatt e estrelado por James Franco, Tom Felton e Freida Pinto. Assim como nos demais clipes, o vídeo começa com uma introdução de Andy Serkis (King Kong) antes de exibir um grupo de jovens invadindo a prisão de Caesar, o macado de intelecto desenvolvido que dará início à revolta dos símios contra os humanos. A história se passa em São Francisco, nos dias atuais, quando um grupo de cientistas conduz experiências genéticas com macacos na busca de uma cura para o mal de Alzheimer. O foco do filme é Caesar, um dos chimpanzés usados como cobaia que acaba desenvolvendo uma inteligência fora do comum, causando espanto nos cientistas responsáveis pela pesquisa. O alto desenvolvimento cognitivo dos primatas e a resposta dos seres humanos a essa descoberta acaba causando uma guerra inimaginável, que resulta na subjugação dos humanos pelos macacos.

Ficção científica? O filme pode se tornar uma grande diversão para muitos espectadores amantes do gênero ficção científica. Contudo, a questão proposta é séria e pauta de discussão entre cientistas. Os estudos científicos que introduzem tecido ou células humanos em animais são considerados essenciais na investigação médica. O BBCmundo publicou hoje uma leitura do informe publicado pela Academia de Ciências Médicas do Reino Unido que adverte para a necessidade de estabelecer um controle ético claro, pois a ciência corre o risco de criar verdadeiros “monstros, tipo Frankstein com animais humanizados” no futuro.

A Academia não pretende que se acabem os experimentos, já que os considera importantes, mas pede que se estabeleçam regulamentações mais estritas a fim de controlar o rápido e extenso avanço da investigação com animais. Com o avanço das técnicas e descobertas estão surgindo novos assuntos éticos que necessitam urgentemente serem regulados. O recente informe da Academia expressa temores sobre a possibilidade real de criar símios que tenham a capacidade de pensar e falar como os humanos.

Alguns dos experimentos atuais apontariam para a possibilidade de o homem gerar “monstros”. Por exemplo, hoje os cientistas introduzem células humanas de tumores de mama em ratos para provar novos fármacos de câncer em tecido humano. Também são criados ratos com lesões similares as que causam derrame cerebral em humanos para provar se é possível obter uma melhora injetando-lhes no cérebro células-madre humanas. Já foram introduzidos genes humanos no genoma de cabras para produzir uma proteína humana usada no tratamento de transtornos de coagulação. E os estudos de ratos com síndrome de Down que receberam um cromossoma humano no genoma permitiram a maior compreensão da doença.

Certamente, todos os estudos são importantes. No entanto, o informe chama a atenção para o fato de que a maioria dos experimentos se dão com ratos, por isso os cientistas demonstram grande preocupação com investigações científicas realizadas com símios. Muitos países, como os Estados Unidos, ainda permitem a prática com macacos. O temor dos cientistas é de que a inserção de grandes números de células cerebrais humanas em cérebro de primatas podem ser determinantes na capacidade de símios desenvolverem capacidades até então humanas, como a linguagem.

A questão tantas vezes tratada na ficção passa agora a fazer parte da discussão entre cientistas. De acordo com o informe, embora acredita que experiências desse nível ainda não estejam em andamento, é preciso colocar em pauta uma discussão ética e regulatória agora, antes de que os estudos possam se iniciar e tornar frequentes e as conseqüências possam ser desastrosas.

* As imagens deste artigo são do filme Planeta dos Macacos – A Origem, com estreia nos cinemas prevista para 5 de agosto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>